O Vale do Capão

 

O Vale do Capão resguarda paisagens deslumbrantes. O cenário é basicamente composto por grandes cachoeiras, dentre outras preciosidades naturais.

Localizado no município de Palmeiras, a 445km de Salvador, o Vale do Capão resguarda paisagens deslumbrantes. O cenário é basicamente composto por grandes cachoeiras, áreas de Mata Atlântica, montanhas de até 1.500 metros, dentre outras preciosidades naturais. Não é à toa que o lugar detém famosíssimos paraísos ecológicos, como o Silêncio dos Gerais, a correnteza do Rio Preto, o imponente Morrão e o abismo onde caem as águas da Cachoeira da Fumaça – a mais alta do Brasil.

O clima tropical, com temperatura média anual variando entre 22° e 24°C, favorece todos os tipos de passeios. Um dos mais cogitados entre os visitantes é o ecoturismo, garantido pelas belezas que acompanham as famosas caminhadas. Elas podem ser feitas por trilhas mais longas, como a que segue do Vale até Lençóis, ou as mais curtas, a exemplo das que ligam pontos turísticos e algumas comunidades. A diferença do Capão para os outros locais da Chapada está no conceito que foi desenvolvido há mais de 20 anos. O lugarejo já teve o garimpo como sua principal atividade, assim como o restante da Chapada. Os garimpeiros se aventuravam pelas serras, riachos, rios e tocas à procura de diamantes. Com a chegada dos alternativos, ainda embalados pelo sonho dos anos 70, a vida no Capão mudou completamente.

 Ao contrário dos garimpeiros, que buscavam a concentração de riquezas, as comunidades alternativas não queriam extrair nada do lugar, e sim somar. Um grupo de oito pessoas resolveu fundar uma comunidade, chamada de Lothlorien – palavra que, em celta, quer dizer “sonho dourado”. Neste projeto destaca-se a figura do médico naturalista Áureo Augusto, que, depois de curar-se de uma doença através do naturismo, resolveu criar uma clínica voltada para a cura através de técnicas alternativas.

Cachoeira da Fumaça

 

A cachoeira mais alta do Brasil, com 380 metros, é uma das principais atrações da Chapada. A maneira "mais fácil" de vislumbrar a água que jorra de um buraco no paredão é de cima, arrastando-se até a beira do precipício. Para chegar lá é preciso caminhar duas horas (seis quilômetros). Quem pretende apreciar a queda por baixo deve se preparar - partindo de Lençóis, são três dias de caminhada em meio às serras.

 

Necessidade de Guia:

sim

Dificuldade:

Médio

Tempo de caminhada:

2 horas

Distância do centro do Capão até o início da trilha:

1 Km

Valor da entrada:

Contribuição voluntária

Angélicas

 

A trilha segue até uma localidade chamada de Bomba, segue-se direto atravessando três rios com muitas pedras, dá para passar sem tirar o tênis (para quem usa) caminhando por cima das pedras. Após o terceiro rio, de imediato se vê uma placa do IBAMA, então é só virar a DIREITA e seguir a trilha que é demarcada. Angélicas é uma delícia, o poço é bem fundo e no final tem a cachoeira que é só pequena no tamanho mas no volume de água é um espetáculo.

 

Fonte: http://www.mochileiros.com

 

Necessidade de Guia:

não

Dificuldade:

Fácil

Tempo de caminhada:

30 min (angélicas)

Distância do centro do Capão até o início da trilha:

1,5 Km

Valor da entrada:

Gratuita

Purificação

 

A trilha da Purificação é logo acima do Poço em Angélicas, basta seguir trilha sempre pelo leito do rio, há muitas pedras pelo caminho, o que faz com que a caminhada seja um pouco difícil, há algumas quedas d'águas pequenas no percurso até chegar ao poço da Purificação, são pequenas cachoeiras lindíssimas, um espetáculo á parte. Aliás, o grande barato de ir à Purificação é o trajeto. O poço da Purificação tem este nome porque a água é tão gelada que a pessoa sai de lá purificada.

 

Fonte: http://www.mochileiros.com

 

Necessidade de Guia:

não

Dificuldade:

Fácil

Tempo de caminhada:

1 hora

Distância do centro do Capão até o início da trilha:

1,5 Km

Valor da entrada:

Gratuita

Riachinho

 

O Riachinho é um rio com corredeiras na sua parte mais alta, depois um paredão forma cachoeiras e cascatas lindíssimas, em seguida um poço de cerca de 30 metros, depois corredeiras novamente e em seu final um poço, com uma formação rochosa nas bordas bastante curiosa.

 

Fonte: http://www.mochileiros.com

 

Necessidade de Guia:

não

Dificuldade:

Fácil

Tempo de caminhada:

5 min

Distância do centro do Capão até o início da trilha:

6 Km

Valor da entrada:

Gratuita

Morrão

 

O Morrão (ou Monte Tabor) é um dos ícones da Chapada Diamantina. Seu cume pode ser visto de várias partes do parque e assume várias formas, dependendo do ângulo de visão.

Para se chegar ao início da trilha, segue-se pela estrada que liga Palmeiras ao Vale do Capão (no sentido Palmeiras) por 2 km até passar ao lado de uma pedreira desativada. Neste ponto segue-se por uma estradinha de terra ao lado da pedreira. São duas bifurcações que orientam o caminho: na primeira a estrada se divide em duas e o caminho é à direita, já na segunda a estrada segue pela esquerda e a trilha inicia à direita.

Em seguida basta seguir em frente mantendo o Morrão sempre à esquerda, em eventuais bifurcações.

Dicas:

Se a opção é por bate e volta, inicie a caminhada bem cedo. O horário ideal para iniciar o retorno é por volta das 15h.

Se a opção é por acampar na Toca das Águas Claras, há um ótimo espaço para barracas ao lado do segundo poço.

Existe a possibilidade de contratar moto-taxi ou carro para o transporte até o início da trilha e evitar a caminhada pelas estradas de terra. Também é possível agendar um horário para que se faça o transporte de volta.

 

Fonte: http://www.mochileiros.com

 

Necessidade de Guia:

não

Dificuldade:

Fácil

Tempo de caminhada:

5 min

Distância do centro do Capão até o início da trilha:

6 Km

Valor da entrada:

Gratuita

Poço do Gavião

 

Caminhada de 2 horas até o Poço do Gavião. Para chegar ao local, é necessário atravessar a Serra do Candombá do lado oeste do Vale do Capão, com vistas maravilhosas do Morrão e da Serra da Larguinha, onde fica a Cachoeira da Fumaça. Após a subida, a maior parte da trilha é feita no plano por cima da serra, onde pode os visitantes encontram diversas espécies de orquídeas, bromélias e várias outras plantas nativas da região como o candombá. Logo os visitantes se deparam com o Poço do Gavião com mais de 100 metros de extensão e pequenas quedas d´água, que, como a maioria dos rios da região, possui água limpa e de cor escuro avermelhada.

 

Fonte: http://www.guiadecachoeiras.com.br

 

Necessidade de Guia:

sim

Dificuldade:

média

Tempo de caminhada:

2 horas

Distância do centro do Capão até o início da trilha:

1 Km

Valor da entrada:

Gratuita

Rio Preto

 

Caminhada de 1 hora e 30 min. até a cachoeira do Rio Preto retornando pela cachoeira das Rodas. Uma das trilhas mais visitadas pelos moradores do vale por ter um percurso muito agradável e por suas cachoeiras serem ótimas para tomar banho. No Rio Preto encontramos uma queda d´agua de 4 metros e uma piscina natural de cor escura-avermelhada com quase 50 metros de extensão.

 

Fonte: http://cantinhodabrisa.blogspot.com.br

 

Necessidade de Guia:

sim

Dificuldade:

fácil

Tempo de caminhada:

1h e 30min

Distância do centro do Capão até o início da trilha:

1 Km

Valor da entrada:

Gratuita

Rodas

 

No caminho de volta da cachoeira do Rio Preto. Em Rodas, encontramos uma seqüência de quedas d´agua e pequenas piscinas que formam uma grande cachoeira pouco inclinada e longa.

 

Fonte: http://cantinhodabrisa.blogspot.com.br

 

Necessidade de Guia:

sim

Dificuldade:

fácil

Tempo de caminhada:

1h e 30min

Distância do centro do Capão até o início da trilha:

1 Km

Valor da entrada:

Gratuita

Localização

Rua dos Campos - Vila dos Campos

Vale do Capão, Palmeiras, Bahia, Brazil

 

Tel.: (75) 98174-3159

Contato

Enviando formulário…

O servidor encontrou um erro.

Formulário recebido.